O que é o café Mundo Novo e quais são as suas características?

Você sabia que o Brasil é um dos maiores produtores de café do mundo? Conhecer um pouco mais sobre a origem dessa história e os cultivares arábica produzidos aqui é uma forma de garantir mais qualidade à sua experiência de xícara!

Para se ter uma ideia, basta dizer que somos responsáveis por cerca de um terço de toda a produção mundial – boa parte dela direcionada aos cafés gourmet. Anualmente, as colheitas geram algo em torno de 44 milhões de sacas, em média.

Nessa imensidão de lavouras repletas de varietais especiais, o café Mundo Novo figura como estrela. É ele o responsável pela liderança brasileira em produtividade cafeeira, fruto de sua alta performance no campo e de características de sabor muito apreciadas entre os consumidores.

O grão 100% arábica, desenvolvido a partir de cruzamento natural beneficiado pela atenção científica, logo caiu no gosto dos produtores de café de qualidade superior. Hoje, o Mundo Novo faz do Brasil um dos maiores players do mercado cafeeiro gourmet mundial.

Neste post, você vai saber um pouco mais sobre este delicioso café e sua história de sucesso no mercado brasileiro e internacional.

O que é o café Mundo Novo e quais são as suas características

Destaque na produção 100% arábica

Você que nos acompanha já sabe que abordamos aqui apenas os varietais arábica. Isso por que são estes os grãos que dão origem ao café de qualidade superior devido a características especiais de cultivo (terroir), colheita e trato que envolve toda a cadeia produtiva (da lavoura à embalagem para o consumidor final). Possuem aroma e doçura intensos com muitas variações de acidez, corpo e sabor. Os cafés especiais e gourmet são, via de regra, 100% arábica.

Neste cenário, o café Mundo Novo é uma das cinco principais variedades de café arábica produzidas no Brasil. As outras são Icatu, Bourbon, Catuaí e Acaiá, e subvariedades. Para saber mais sobre os cafés de qualidade superior, veja nosso post sobre café arábica.

A descoberta do café Mundo Novo

Resultante de um cruzamento natural entre os cultivares Sumatra e Bourbon Vermelho, o Mundo Novo foi descoberto no município paulista de Mineiros do Tietê, em 1952.

Nessa parte da história entra a ciência. As sementes de um desses cafeeiros foram plantadas no município de Mundo Novo (que hoje leva o nome de Urupês), São Paulo. Lá, pesquisadores do Embrapa selecionaram as plantas matrizes que deram origem ao cultivar Mundo Novo – uma referência à cidade onde foi desenvolvida.

Logo, as plantas se mostraram resistentes e produtivas na lavoura. Diante da alta performance, a Embrapa apostou no varietal, multiplicou as sementes e distribuiu o café Mundo Novo ao mercado. Desde então, o varietal figura como um dos principais da produção arábica do país, junto ao café Catuaí.

amanho sucesso se deve a características especiais: alta produtividade e elevada capacidade de adaptação a diversas regiões cafeeiras. Segundo as pesquisas da Embrapa, o café Mundo Novo apresentou produtividade até 200% maior que a habitual! A capacidade de se adaptar ao clima local também foi determinante para a consolidação do varietal na cafeicultura brasileira.

No campo, o Mundo Novo é uma planta rústica, de porte alto e com caule fino. As plantações acima de 800 metros de altitude produzem os melhores cafés, mas o Novo Mundo se adapta bem a variações climáticas. Por isso, ele está presente em todas as regiões cafeeiras do Brasil, inclusive no Cerrado.

O único porém desta variedade é ser suscetível à ferrugem, o que exige vários cuidados especiais no seu plantio. Mas o sabor, a produtividade, a resistência e adaptabilidade climática e também sua longevidade são qualidades que superam este contratempo.

O cultivar é um bom exemplo da importância da pesquisa científica no desenvolvimento de novas plantas e também do mercado: tanto o café Mundo Novo quanto o Catuaí, grandes cultivares da cafeicultura nacional, derivam do programa de melhoramento genético do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), entidade que integra o Consórcio Pesquisa Café.

Características de sabor

Varietal 100% arábica – plantas que originam cafés mais finos e requintados -, o Mundo Novo tem sabor doce e marcante. Corpo médio, perfume intenso de torra e média acidez. Possui aromas de caramelo e também de chocolate ao leite.

Graças às características sensoriais, o café do varietal figura entre os preferidos dos baristas; é um hit como ingrediente para diversos métodos de preparo e receitas gourmet. Você, que curte experiências e sabores diferenciados, vai gostar de saber que o Mundo Novo é muito utilizado em smoothies de café, drinks com gim e misturas com frutas cítricas, principalmente laranja.

Uma curiosidade diz respeito à influência das floradas no sabor deste café: nas lavouras, o cultivar floresce em três etapas, o que permite uma boa uniformidade de maturação dos frutos. A primeira florada produz 10%, a segunda 80% e a última 10% dos frutos. O resultado disso é um café de ótima qualidade, devido ao baixo percentual de grãos verdes obtidos na colheita.

Um destaque no mercado mundial

No mercado, o Mundo Novo é um campeão. Junto ao café Catuaí, representa quase 90% de todas os cultivares plantados em território brasileiro.

Dados da Embrapa revelam que os cafés Mundo Novo e Catuaí possuem grande importância para o processo de formação do cultivo cafeeiro no Brasil. Com origem no século passado, ambos têm contribuição significativa para a mudança no cenário do mercado nacional de café. O principal motivo? Longevidade e produtividade que fazem delas as maiores responsáveis por consolidar a cultura do café de qualidade superior em regiões produtoras do país.

Atualmente, o Mundo Novo está presente principalmente nas regiões cafeeiras de Minas Gerais e São Paulo, mas não restrito a elas. Como já falamos aqui, devido a boa adaptação o varietal pode ser encontrado em diversas regiões produtoras. Aliás, graças a qualidades da planta, a popularidade do Mundo Novo é internacional, com lavouras cultivadas em diversos países, inclusive no Vietnã.

Outro fator que coloca o Mundo Novo entre os mais procurados é o paladar marcante e versátil, capaz de elevar a experiência de xícara e se harmonizar a outros sabores. Tanto que cafeterias de todo o mundo utilizam o grão em receitas diversas, seja em drinks – alcoólicos ou não -, em sobremesas ou na culinária em geral. Além, é claro, da composição em blends e da exploração do varietal nas inúmeras preparações possíveis dessa bebida fascinante que é o café.

O Mundo Novo na xícara

E aí? Ficou com vontade de experimentar o Café Mundo Novo? Com certeza aquela cafeteria bacana que você frequenta vai ter opções com este herói da cafeicultura nacional.

Já provou? Apostamos que sim! Mas agora que conhece um pouquinho mais sobre a variedade as próximas experiências de xícara tendem a ganhar um plus. Aproveite para viajar nesse mundo saboroso e crie blends e receitas na medida para seu paladar!

Para uma experiência de xícara sublime por si só ou para brincar com diferentes possibilidades de preparo e combinações, o Mundo Novo é um café especial. Promete surpreender paladares exigentes e, não raro, está entre os preferidos dos coffee lovers.

Aqui, descobrimos o quanto é possível aprender sobre um só tipo de café. É isso que torna o mundo cafeeiro tão fantástico! Rico em sabores, aromas, possibilidades de combinações. Um universo de informações e descobertas.

Fonte: ucoffee

Leave a comment